quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Atividade de repentista é reconhecida como profissão

Com a presença de mais de 30 repentistas de vários estados nordestinos, a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) aprovou, ontem (25/11), projeto de lei do deputado André de Paula (DEM-PE), que reconhece a atividade de repentista como profissão artística. A proposta foi aprovada em decisão terminativa pela comissão.

De acordo como o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), relator da proposta (PLC 174/07), a medida visa a atualizar lei que trata da regulamentação das profissões de artistas e de técnico em espetáculos de diversões (lei 6.533/78), que não incluia a atividade de repentista entre os artistas.

Repentista, pelo projeto, é quem usa o improviso rimado como meio de expressão artística cantada, falada ou escrita, com composição feita de imediato ou pelo recolhimento de composições de origem anônima ou da tradição popular. Assim, ressalta Crivella, são considerados repentistas os cantadores e violeiros improvisados, os emboladores e cantadores de coco, os poetas repentistas e os cantadores declamadores de causos da cultura popular, bem como os escritores da literatura de cordel.

Crivella informou que o repente saiu do interior do Nordeste e hoje está presente nos grandes centros urbanos do Brasil. Essa manifestação cultural, ressaltou o senador, ultrapassa as referências culturais populares nordestinas.

- O repente nordestino é um dos melhores exemplos de uma arte popular complexa e dinâmica. Este fenômeno cultural é elemento dos mais importantes de uma tradição poética em processo constante de adaptação a novas condições - observou Marcelo Crivella.

O senador José Agripino (DEM-RN) disse que os cordelistas possuem grande talento e o manifestam com expressão de apreço e carinho pelo Nordeste. A atividade, destacou, representa a cultura do Nordeste em todo o país.

Na avaliação da presidenta da CAS, senadora Rosalba Ciarlini (DEM-RN), o repente, muitas vezes, serve como instrumento de divulgação e apoio às causas sociais, uma vez que podem falar de ações de cidadania. Como exemplo, ela contou que repentistas já contribuíram com ações contra a dengue e a mortalidade infantil.

Rosalba disse ainda que no período da ditadura militar essa forma de expressão artística era um dos únicos meios de divulgação de mensagens educativas, na qual os estudantes encontravam estímulo para lutar pela liberdade.

Comemoraram ainda a aprovação da proposta os senadores Paulo Paim (PT-RS), Roberto Cavalcanti (PRB-PB), Eduardo Suplicy (PT-SP) e Flávio Arns (PSDB-PR).

Após a aprovação da proposta, repentistas cantaram o Repente da Vitória: "O repente tem dois séculos, e foi reconhecido agora".

Agência Senado

2 comentários:

Silvano Lyra disse...

Os Repentistas são a cultura viva de qualquer País, daí nos congratulamos com a menção.
Veja: www.repentistasevangelicos.com.br
http://repentistasevangelicos.blogspot.com/
http://www.luizberto.com/?p=91897

Silvano Lyra disse...

Deus está sendo conosco.
Parabéns.
www.repentistasevangelicos.com.br

http://www.luizberto.com/?p=91897

(81)99790989 Silvano Lyra

 
PageRank